DOMINGO DE PÁSCOA:

“Viu e creu”

 

O Domingo da Páscoa da Ressurreição constitui uma ressonância da Vigília Pascal, centro de todo o Ano Litúrgico. Estamos celebrando a Vida em plenitude, a razão maior da caminhada, o ápice da nossa vida cristã. Portanto, a celebração da Páscoa é sem dúvida alguma a festa principal de nós os cristãos.

Jesus está Vivo, ressuscitado, vitorioso e está no meio de nós. É o Deus presente, que venceu a morte e nos trouxe a vitória definitiva. Os sepulcros transformaram-se em lugar de esperança, de vida. Cristo é a esperança de toda nossa caminhada, é a razão maior da nossa vida. Como dissera Pedro: “A quem iríamos nós se só tu tens palavra de vida eterna?”.

Somos chamados em nome de Jesus ressuscitado tirar as pedras dos sepulcros que se encontram na vida daqueles que estão sofrendo, sem esperança. Somos portadores da vida. Devemos enfrentar a cultura da morte que nos assola com a força da Luz da Ressurreição.  Em Jesus Cristo, aprendemos que morrer por amor é continuar vivendo.

Esta é a mensagem que a palavra deste domingo nos traz. Maria Madalena vai ao sepulcro no primeiro dia da semana, o domingo, e encontra o sepulcro vazio. Que alegria, que espetáculo de notícia poderia ser maior que esta? O sepulcro está vazio! Nosso Deus Vive e vive para sempre!

Maria Madalena corre para anunciar o que viu. João e Pedro ao saber da notícia correm ao sepulcro e encontra-o vazio. João chega primeiro, mas por uma questão de humildade e obediência espera Pedro chegar e entrar.

Somos chamados a imitar os gestos de Maria Madalena que ao ver o sepulcro vazio correu anunciar o que viu. Devemos proclamar com entusiasmo que nosso Deus está ressuscitado. Devemos expressar em nossos semblantes a alegria de poder carregar em nossos corações a certeza da vitória em Cristo. O mundo precisa urgentemente descobrir a luz da ressurreição. Somos portadores desta maravilhosa notícia que norteou a vida dos apóstolos e que deve influenciar também a nossa vida. Somos portadores da esperança. A morte só tem sentido na vida, quando a vida é vivida em plenitude.

Porém, só é possível transmitir algo a ponto de contagiar os irmãos que se aproximam de nós com a convicção e a certeza daquilo que anunciamos. Por isso, se devemos imitar Maria Madalena, muito mais a João que viu e creu, pois é o discípulo amado. O amor que nos faz crer de verdade. É o amor que fez com que João acolhesse as promessas da escritura. Todos viram a mesma coisa, porém João viu e creu. O amor é o grande sinal e o segredo para viver a fé sobre a luz da ressurreição. Precisa ainda de outro sinal? Quem pede sinais ou busca apenas sinais visíveis é porque ainda não aprendeu a amar de verdade.

Para acreditar no impossível, é preciso crer na possibilidade. A fé traz possibilidades e cria oportunidades. Por acreditar, fazemos acontecer e existir. Acreditar não é apenas um ato de fé, na maioria das vezes é uma sobrevivência. Mas acreditar e não viver é desonestidade. No fim de tudo seremos o que acreditamos. A maior prova de fé e amor a si mesmo e aos outros é permitir ressuscitar todo dia em Cristo. Temos a fé para não morrer de verdade.

Páscoa é tempo de morrer por amor a quem precisa e ressuscitar neste amor aos sonhos de Deus em nossa vida. A pior de todas as mortes é deixar de acreditar no Amor. Quem teme o amor, deixa de viver e transforma-se em sepulcro.

Que Jesus Ressuscitado nos ajude ver e crer no Amor, sempre.

O sepulcro está vazio! Jesus Ressuscitou! Aleluia!



                                                                                  
0

Adicionar um comentário

Carregando